Sonho de um país sem pizza

pizza

A BBC Brasil publicou hoje que na Coréia do Norte abriram a primeira pizzaria do país!! Mas como? Ainda tinha algum país sem pizzaria no mundo? Achei que tinham pizzarias até na Suméria!!

Claro que a ordem para abrir a pizzaria mais solitária do planeta foi dada pelo ditador Kim Jong-il (ou também Kim Jong II). Ele mandou uma turma de cozinheiros coreanos para aprender como fazer a redonda na Itália e disse que a Coréia do Norte vai ter agora “alguns dos mais famosos pratos do mundo”. Leia toda a matéria no link acima, seria hilária, se não fosse trágica.

O jornal coreano que foi fonte da matéria da BBC disse ainda que a pizzaria, que foi aberta em dezembro, está sempre cheia. Claro, e pode cobrar quanto quiser pela pizza também, certo? A questão  é que a Coréia do Norte é um dos países mais pobres do mundo e que depende de ajuda humanitária para alimentar sua população. Neste inverno já são 9 milhões sem ter o que comer (números da ONU na matéria).

mixnorthkorea

Será que o Kim pensa que vai servir pizza prá toda esta gente? É bem provável mesmo que ele esteja pensando numa maneira de reproduzir pizza aos montes e cobrar por isto, né não? Oras, que melhor negócio do mundo pode haver para um ditador maluco do que abrir a única pizzaria na redondeza num lugar com uma demanda por comida como esta?

Bom, na verdade, negócio melhor do que esse só mesmo servir pizza pro congresso brasileiro. Ah, se o Kim descobre isso!…

Anúncios

Campanhas de alimentação no Brasil

Ontem postei um vídeo sobre uma campanha na Inglaterra para a mudança de hábitos alimentares, a “Change 4 Life”. E aí fui procurar campanhas similares no Brasil. Aqui temos muita campanha para arrecadação e distribuição de alimentos mas temos muito pouco, ou acho que não temos (não achei quase nada, alguém indica?), para a mudança de hábitos, ou seja, para comer melhor.

Supondo que, se existe, o problema da fome no Brasil é relativo à desnutrição ou nutrição inadequada, e não à falta de alimentos, é preciso avaliar se realmente faz sentido a enorme quantidade de campanhas para arrecadação de alimentos diversos que existe por aí, do tipo “doe comida indiscriminadamente”, e ainda, se é que elas funcionam na sua distribuição. O fato é que existe um problema de alimentação saudável que está crescendo no Brasil, ou seja, além de uma má nutrição nos bolsões de pobreza, existe o surgimento da nutrição inadequada nas classes média e alta, geradas pelo crescimento industrializado e globalização econômica e cultural do país. É o mesmo fenômeno que ocorre nos países do norte, uma questão de educação alimentar.

Tudo bem que aqui se come arroz com feijão e o nível de penetração dos alimentos industrializados na população não chega aos pés do que ocorre na Inglaterra ou nos EUA, mas aqui problemas de saúde pública como a obesidade e a diabete já preocupam e consomem recursos públicos muito mais do que a “fome”. Além de checar dados do Ministério da Saúde sobre o assunto, basta dar uma volta pelas ruas e checar o povo andando por aí para comprovar isto.

Mas para combater este problema as campanhas de comunicação deveriam ser mais focadas na educação a uma alimentação saudável e não em “fomes zeros”. E o pior é que no Brasil quase não se vê campanhas de qualidade, ou seja, que possam realmente ter a esperança de funcionar. Na web tá cheio de vídeos amadores e na TV ou nos impressos só muito de vez em quando é que aparece algo, e mesmo assim muito pontual, por muito pouco tempo, limitado a uma região pequena, etc. Enfim, na minha opinião precisamos ter mais campanhas de educação alimentar, e não só big campanhas do Ministério e dos mkts sociais das corporações, mas também ações comunitárias e horizontais feitas por nós mesmo, principalmente aqui na web.

Vou pesquisar mais sobre este assunto e voltarei nele aqui com mais propriedade para outros comentários e idéias, mas por enquanto segue aqui abaixo dois vídeos, um de uma campanha do Banco de Alimentos, do tipo “doe dinheiro para a causa”, com o testemunho do Alex Atala; e outra do Ministério da Saúde pedindo para o povo comer mais arroz com feijão em uma tentativa de preservar o hábito alimentar básico e saudável que o brasileiro sempre teve (em face à alternativa hiper-industrializada) – este vídeo é bem simpático, vejam aqui:

 

Banco de Alimentos – campanha doe 9 reais:

 

Ministério – campanha em prol do feijão com arroz:

 

E para mais info sobre o assunto, aqui Alimentação e Nutrição no Ministério da Saúde, e aqui um ensaio sobre Insegurança Alimentar em uma publicação da UFG (Goiás).